Ministro Queiroga usa aviões da FAB para transportar parentes e amigos

Em levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo foi constatado que o atual Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga levou a esposa e filhos, além de parentes de outras autoridades, em ao menos 20 voos oficiais realizados com aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira).

A Folha de São Paulo chegou registros de 68 voos do Ministério da Saúde entre os dias 25 de março a 8 de agosto, sendo que Queiroga assumiu o cargo em 23 de março. Os deslocamentos de Queiroga e seus parentes foram utilizados para cumprir agendas oficiais. A Folha teve acesso aos dados por meio da Lei de Acesso à Informação. 

Sobre o caso, o Ministério da Saúde se deteve a dizer, apenas, que “o ministro tem liberdade para preencher as vagas ociosas nas aeronaves”. 

Além dos parentes de Queiroga, Simone Queiroga, dos filhos, o advogado Marcelo Antônio Cartaxo Filho, o estudante Antônio Cristóvão Araújo e a médica Daniela Araújo, parentes de políticos da base governista também usaram a aeronave mantida com dinheiro público. 

Equipe de Bolsonaro em aviões da FAB

Adriana de Souza Leão Coelho, esposa do senador Fernando Bezerra (MDB-PE), viajou em voo do Ministério da Saúde de Petrolina (PE) para a capital, Recife, junto com o marido. O senador Fernando Bezerra é o líder do governo Bolsonaro.

A médica Sarita Pessoa  também usou a aeronave da FAB para ir de Brasília para João Pessoa. Ela é esposa de Gilson Machado, Ministro do Turismo. O também era para a agenda de Queiroga.

Em nota, o Ministério do Turismo disse que a presença da esposa do ministro no voo “está em acordo” com decreto que regulamenta o uso das aeronaves por autoridades. A assessoria do senador Bezerra, no entanto, não se manifestou.

A cartilha que ninguém cumpre

Eleito com o discurso de ser contra a corrupção, pouco antes de tomar posse, o presidente Jair Bolsonaro distribuiu uma cartilha com normas e procedimentos éticos. Sobre voos a recomendação era de que: somente o ministro e a equipe que o acompanha no compromisso poderiam utilizar as aeronaves.

No entanto, a norma nunca foi cumprida nem por Bolsonaro, nem por sua equipe de Governo. 

O presidente de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, por exemplo, veio ao Brasil em agosto de 2021, para visita oficial em avião da Força Aérea Brasileira mantido com o dinheiro dos impostos pagos pela população brasileira.

Fonte: Brasil de Fato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *