Datafolha: Lula venceria Bolsonaro no 2º turno com 56% dos votos contra 31%

Dados da pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 a 15 de setembro, revelam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua mantendo larga vantagem sobre o atual presidente Jair Bolsonaro na corrida eleitoral para 2022.

Os números sugerem, entretanto, que a ascensão de Lula na intenção de votos parece ter estagnado, assim como a queda da popularidade de Bolsonaro.

No primeiro turno, Lula em média 44% das intenções de voto. Bolsonaro, 26%. Ciro Gomes, o candidato do PDT, segue em terceiro com 9% das intenções de voto. A margem de erro máxima é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 

A pesquisa também não apontou melhora no desempenho do candidatos que integram os pelotões inferiores, o que desanima os entusiastas da terceira via. 

Em um cenário mais aberto, os nomes ventilados pelos partidos recentemente seriam: o apresentador José Luiz Datena  (PSL, 4%), a senadora Simone Tebet (MDB, 2%), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM, 1%), e o ex-ministro Aldo Rebelo (sem partido, 1%). O senador Alessandro Vieira (Cidadania), que como Tebet tenta a sorte a partir do palanque obtido na CPI da Covid, não pontuou.

2º turno

Previsões para o segundo turno também colocam o petista à frente de Bolsonaro. Lula bate Bolsonaro por 56% a 31%. Em julho a previsão era de 58% a 31%. 

Em um cenário sem o atual presidente, Doria perderia de Lula por 55% a 23% (56% a 22% em julho) e Ciro, por 51% a 29%. 

A intenção de voto de Ciro Gomes permanece o mesmo das últimas três eleições em que disputou. 

Não utilizamos seus dados para enviar nenhum tipo de spam.

Lula tem suas maiores vantagens entre os mais pobres (até 34 pontos sobre Bolsonaro), menos educados (31 pontos), jovens (29 pontos) e mulheres (25 pontos).

Já o presidente tira sua força dos mais ricos (42% a 23% de Lula) e, principalmente, no eleitorado evangélico. Sua base de apoio desde a campanha de 2018, o grupo que soma 26% da amostra populacional dá a ele 38% a 34% contra o petista numa simulação e 36% a 32% em outra.

Fonte: Carta Capital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *