Câmara aprova urgência para projeto de privatização dos Correios

Tramitação poderá ser mais rápida
Bolsonaro levou texto a deputados

Bolsonaro entrega ao presidente da Câmara, Arthur Lira, o projeto de privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Acompanharam o presidente na ida ao Congresso os ministros Fábio Faria (Comunicações), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Paulo Guedes (Economia), e os presidentes dos Correios, general Floriano Peixoto, e do BNDES, Gustavo MontezanoPablo Valadares/Câmara dos Deputados – 24.

A Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta terã3ª feira requerimento de urgência para o PL (projeto de lei) 591 de 2021, que possibilita a venda dos Correios. O texto é do governo federal. O presidente da República, Jair Bolsonaro, levou o projeto pessoalmente ao Legislativo no fim de fevereiro.

A urgência foi aprovada por 280 votos a 165, e uma abstenção. A aprovação do requerimento possibilita que a tramitação seja mais rápida e a votação do mérito seja direto no plenário. Sem a urgência, seria necessária discussão nas comissões da Casa.

A aprovação da urgência é uma vitória para o governo. Bolsonaro apresentou a proposta depois de demitir do ex-presidente da Petrobras Roberto Castello Branco e indicar o general Joaquim Silva e Luna para o cargo. O movimento do presidente da República, à época, foi uma forma de tentar acalmar o mercado.

Os apoiadores do projeto afirmam que aumentar a participação da iniciativa privada no setor melhorará os serviços de entregas. Os contrários dizem que as regiões mais pobres e mais remotas do país ficarão sem o serviço, porque as operações para esses lugares não seriam lucrativas.

Nos últimos anos os Correios deixaram de dar prejuízo. O lucro em 2019 foi de R$ 102 milhões. Os resultados consolidados de 2020 ainda não foram divulgados.


Fonte: Poder 360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *