Após 2º adiamento, Reinaldo e vereador vão ficar frente a frente em audiência sobre vídeo

Em decorrência da falta de notificação do vereador Tiago Vargas (PSD), a audiência na 3ª Vara Criminal sobre o polêmico vídeo, em que o ex-policial civil chama o governador de “corrupto, bandido e canalha”, foi adiada pela 2ª vez. Com o retorno das atividades presenciais na Justiça, o parlamentar e Reinaldo Azambuja (PSDB) vão ficar frente a frente no dia 5 de novembro deste ano, a partir das 14h.

A nova audiência de conciliação foi marcada pela juíza Eucélia Moreira Cassal. Somente após o encontro, ela decidirá se aceita a denúncia por calúnia, difamação e injúria do tucano contra o vereador. Vargas pode ser condenado por ter xingado o governador em vídeo postado nas redes sociais, no qual critica a realização de blitz durante o dia.

Este será o primeiro encontro entre Reinaldo e Tiago desde a demissão do policial civil em julho do ano passado. O tucano demitiu Vargas em decorrência de sindicância aberta pela Polícia Civil a partir da queixa do médico Lívio Viana, o Dr. Lívio (PSDB), atual diretor-geral do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian. Tiago foi acusado de ter sido agressivo durante perícia realizada na Ageprev.

Apesar do julgamento por agressão e ameaças só ser concluído em 2022, Reinaldo acatou a conclusão da comissão de sindicância e demitiu Tiago Vargas. O policial civil ainda respondia a outras nove sindicâncias. Ele ficou famoso por criticar corruptos, inclusive o governador, após a delação premiada da JBS, de que teria pago propina a Reinaldo em troca de incentivos fiscais.

Tiago acabou eleito vereador mais votado da Capital nas eleições municipais do ano passado. A Procuradoria-Geral da República denunciou Reinaldo por corrupção passiva, chefiar organização criminosa e lavagem de dinheiro em outubro do ano passado. A Ação Penal 980 ainda não foi analisada pela Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça.

O governador e a família estão com R$ 277,5 milhões bloqueados desde setembro de 2018, quando houve a deflagração da Operação VostoK. O STJ decidiu desmembrar a denúncia e só manteve o governador para ser julgado na corte.

Cotado para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados em 2022 para não perder o foro privilegiado, Reinaldo ingressou com duas ações contra Tiago pelas críticas feitas nas redes sociais. A primeira foi para pedir a retirada do vídeo, publicação de retratação por 30 dias e o pagamento de indenização de R$ 50 mil por danos morais.

O pedido foi negado em primeira e segunda instância. Atualmente, o Tribunal de Justiça analisa recurso do governador. O desembargador Marcelo Câmara Rasslan negou o pedido. No entanto, ainda faltam os votos dos desembargadores Sérgio Martins e Divoncir Schreiner Maran.

Já na área criminal, o pedido para condenar o parlamentar tramita na 3ª Vara Criminal. O Ministério Público Estadual opinou pelo recebimento da denúncia contra o vereador. A juíza decidiu tentar audiência de conciliação antes de analisar se aceita a denúncia. O primeiro encontro seria virtual no dia 28 de setembro deste ano e foi adiado a pedido de Reinaldo, que alegou compromisso em Brasília.

A magistrada remarcou para o dia 4 de outubro. No entanto, como Tiago não foi notificado, apenas o tucano e os advogados compareceram à audiência de conciliação. Ela marcou para o dia 5 de novembro e determinou que a audiência será presencial. Tiago e Reinaldo vão se encontrar pela primeira vez desde a demissão em julho do ano passado.

Tiago vai ficar frente a frente com Reinaldo pela primeira vez desde que foi demitido da Polícia Civil (Foto: Arquivo/CMCG)

Fonte: O Jacaré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *