Em noite dedicada às massas, ‘Cozinha Experimental’ apresenta substituições saudáveis e saborosas

Na noite da última terça-feira (21), os participantes do programa de prevenção “Cozinha Experimental”, em Campo Grande, aprenderam a fazer pratos saudáveis de um dos alimentos preferidos dos brasileiros, que é a massa. O programa tem o objetivo de despertar o interesse por uma alimentação mais saudável, gerando assim, maior qualidade de vida, por meio de receitas saborosas, fáceis de fazer e nutritivas. O programa de prevenção foi criado em 2012, em Campo Grande, e, desde o ano passado, também é realizado em Dourados. Na Capital, os cursos acontecem na Rua Abrão Júlio Rahe, 97, e em Dourados, na Rua Onófre Pereira de Matos, 5534-5644, no Jardim Climax. Para se inscrever, o beneficiário deve ligar no (67) 3382-8584, Campo Grande, e (67) 3033-8350, Dourados. O valor da inscrição é de R$ 30,00.

Cristiane Melo participou da “Cozinha Experimental” pela primeira vez. O que a fez procurar do curso foi a repercussão da excelência do programa de prevenção. “Eu resolvi participar do curso, primeiro, pela credibilidade da Cassems, e, também, pelos comentários que as pessoas fazem no Facebook, e isso me deixou bem entusiasmada. Eu não sabia fazer nenhum tipo de massa e aprendi muita coisa aqui. Eu vou participar de todos e vou indicar para todo mundo”.

Outra que conheceu o curso na última edição, Sirlene Ferreira da Silva conta que é cozinheira de “mão cheia”, porém, para ela, saber cozinhar bem nem sempre é sinal de comida saudável. “Eu resolvi participar do curso porque só sei fazer comida que engorda. Eu sou boa cozinheira, mas só de comidas que engordam, então, vim aprender comidas mais saudáveis. Eu gostei bastante do ravióli e faz tempo que queria aprender a fazer a massa”.

A nutricionista e coordenadora da “Cozinha Experimental”, Melissa de Andrade, explica que o objetivo do curso de massas é incluir aspectos nutricionais aos pratos, por meio de substituições.

“Eu estou incluindo mais a parte de Nutrição no curso de hoje, como, por exemplo, o ravióli, que as pessoas têm o hábito de comprar massa pronta, aqui, eu ensinei a fazer a massa integral com recheio de abóbora com amêndoas. Também fizemos um nhoque de banana da terra sem farinha. Então, a gente agregou muitas vitaminas num prato que, geralmente, as pessoas associam à alimentos com muita gordura, além de substituir muitos produtos industrializados por alimentos frescos”.

(Fonte: Ascom Cassems)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *