Nota de apoio à Greve dos Administrativos da Educação de MS

O Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública – ACP manifesta total apoio ao movimento grevista dos trabalhadores administrativos da Educação de MS, iniciado em 20 de maio. Em Assembleia Geral da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), nesta terça-feira (21), a categoria decidiu manter a greve, conforme o limite estabelecido pelo Judiciário.

As reivindicações dos administrativos da educação são:

A. Incorporação imediata do Abono Salarial (R$ 200,00);

B. Manutenção da jornada de trabalho de 6 horas;

C. Chamada do Concurso Público;

D. Por uma política de valorização salarial.

A luta dos trabalhadores administrativos da educação é por condições de trabalho e salário dignos; é por cumprimento de acordo; é contra a retirada de direitos e massacre da classe trabalhadora – prática que tem se mostrado a regra destes tempos. Há anos, esses educadores sofrem com a falta de valorização e respeito a sua profissão, por parte do governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

A ACP defende um movimento sindical classista, que enxerga todos os trabalhadores pertences ao conjunto único da classe trabalhadora. Portanto, solidariedade e apoio à greve dos companheiros de trabalho diário, nas escolas estaduais, é nossa missão.

Professores e especialistas em educação tem consciência e destacam a fundamental importância dos trabalhadores administrativos, para o bom desenvolvimento da vida escolar e do pleno aprendizado dos nossos estudantes. Valorizar os administrativos da educação é obrigação de um governo que pensa na educação como projeto de desenvolvimento da nossa sociedade.

(Fonte: ACP)

Um comentário em “Nota de apoio à Greve dos Administrativos da Educação de MS

  • 23 de maio de 2019 em 09:24
    Permalink

    Nossos sinceros agradecimentos aos docentes que verdadeiramente nos apoiam. Infelizmente uma minoria desses profissionais não nos reconhecem como parte integrante do sistema educacional, prova disso é s disponibilidade desses, em nos substituir realizando nossas atividades (especialmente limpeza e merenda) em um momento que lutamos praticamente sozinhos. Só vale lembrar a essa minoria docente que quando eles entram em greve, nós os administrativos sempre os apoiamos. Porém diante de tal situação (professoras, coordenadoras e até direção limpando salas de aula,banheiros e fazendo,servindo a merenda)Já não estamos mais dispostos a ir a luta com essa categoria no momento em que eles estiverem na luta (lembrando que pode ser em breve)

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *