Conclusão do Aquário terá mais um ano, aponta governo em novo plano para obra

O governo do Estado voltará a retomar as obras do Aquário do Pantanal, após muitos imbróglios, ação judicial, desperdícios de recursos e material animal que se perdeu, entre/morreu, em praticamente quatro anos de paralisação do projeto. Contudo, nesta quarta-feira (8), após outras ‘retomadas’ e estipulação de prazos que também mal saíram do papel, a obra foi relançada e prometida ser concluídas desta vez. Mas, a abertura ou totalização do processo, foi estipulado em mais um ano para ser entregue a Mato Grosso do Sul. O anuncio foi feito hoje, pelo vice-governador e secretário de Infraestrutura, Murilo Zauith, ao apresentar o panorama da situação em que se encontra o empreendimento.

A obra que vem da administração anterior, de Andre Puccinelli, deveria ter sido concluída e entregue em 2014, mas foi parada, com uma pequena retomada em 2015, na primeira gestão de Reinaldo Azambuja, que até não gostaria de ter assumido a questão devido a diversos problemas, como jurídico e até de acusações de corrupção, que até ainda estão em andamento de investigações e julgamentos. Assim, o que se seria uma grandiosa obra e espaço inédito e único no Estado, como até nacional e internacional, teve que passar por debates e avaliações dos Poderes Executivo, Legislativo e até Judiciário.

“Não se trata de uma obra de governo, mas de Estado. Será uma obra feita a várias mãos, com a administração do governo”, lembrou Murilo Zauith, ao apresentar o panorama e nova programação para a obra paralisada desde 2015, no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. O cronograma para sua conclusão tem agora a anuência do Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas e Tribunal de Justiça.

Zauith, fez a apresentação como governador em exercício e até por ser gestor da Seinfra, pois o governador Azambuja, não está em MS, indo a Brasília em reunião com o presidente da Republica. Mas, ele estava acompanhado do secretário estadual de Governo (Segov), Eduardo Riedel, e representantes do poder Judiciário. Assim, o titular da Seinfra fez uma apresentação técnica do projeto e anunciou que será criado um grupo de trabalho para fiscalizar a execução da obra, que transcorrerá dentro de um processo transparente na aplicação dos recursos. “Vamos gastar o mínimo possível para fazer o melhor, que é concluir mais uma obra inacabada, que até falta relativamente pouco, mas que representa etapas complicadas”, disse.

12 meses em etapas

Zauith explicou que o Governo do Estado abrirá o processo licitatório em cinco meses, mas de forma segmentada, com previsão de cinco frentes de trabalho. O vice e secretário informou que a previsão de conclusão do Aquário é de um ano, acentuando que a Seinfra já trabalha no complexo, desde janeiro desse ano, com uma equipe formada por onze técnicos.

“A fase final é de acabamento, cerca de 20% da obra”, adiantou, mencionando ainda que desde janeiro, a Seinfra trabalha dentro do Aquário redimensionando o projeto e testando os equipamentos já instalados, como os 32 tanques de peixes e o maquinário que vai movimentar cinco milhões de litros de água diariamente dentro do sistema.

O secretário Eduardo Riedel ressaltou a importância da conclusão da última obra paralisada do Programa de Obras Inacabadas, após vencidas as questões jurídicas para que o governo tivesse segurança na contratação dos serviços. “É determinação do governador Reinaldo Azambuja não deixar nenhuma obra abandonada e a entrega do Aquário era um compromisso, em acordo com o Judiciário e com a absoluta transparência e lisura”, pontuou.

Cataratas assume gestão

Zauith, junto aos empresários, também lembrou que foi mantido o contrato com o Grupo Cataratas, para gestão do empreendimento, e toda a estrutura de acrílico importada dos Estados Unidos já foi testada. “A estrutura montada há quatro anos está em perfeito estado de conservação. A empresa fez inspeção em março e concluiu que só será preciso realizar um polimento nos painéis de acrílico nos tanques e na cúpula do aquário, a ser executado por uma equipe especializada”, disse o gerente no Brasil da empresa norte-americana, que fabricou os acrílicos, Vladimir Crespi, que esteve no evento e fez a certificação.

O diretor-presidente da Cataratas, Bruno Marques, participou da visita ao Aquário do Pantanal e disse que o grupo estima, no primeiro ano, a visitação de 500 mil pessoas ao complexo. Hoje, a empresa opera seis equipamentos, no Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e Fernando de Noronha, que recebem cinco milhões de pessoas anualmente. “A gente acredita muito nesse projeto, tem um potencial fantástico para se tornar atrativo, unindo ser humano e natureza”, comentou ele.

O Aquário do Pantanal

O Centro de Pesquisas e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira – Aquário do Pantanal – contará com 32 tanques da ictiofauna do bioma (peixes e répteis) e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat, em uma área de 21.853 m², distribuídos em oito pavimentados.

O objetivo é transformar o espaço em um centro de referência e visitação, com museu interativo, biblioteca, auditório, sala de exposição e laboratórios de pesquisa para estudantes, cientistas e pesquisadores.

(Fonte: Página Brazil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *