Apartamentos entregues há 1 ano estão desmanchando, denunciam moradores

Condomínio têm pisos soltando, infiltrações e rachaduras que comprometem a estrutura do local

Moradores do condomínio Castelo Di Napoli, no Jardim Seminário, em Campo Grande, afirmam que quem passa pelo local e vê a fachada bonita do residencial, não imagina a quantidade de problemas estruturais e transtornos enfrentados por quem escolheu o local para morar. Entregues há 1 ano, muitos dos apartamentos têm pisos soltando, infiltrações e rachaduras que comprometem a estrutura do local. Insatisfeitos, eles pretendem entrar com ação e já foram ao Procon.

Deoclécio Diogo, de 37 anos, é síndico do local há cerca de cinco meses e afirma que já não aguenta mais as reclamações dos moradores. Segundo ele, os primeiros problemas começaram a aparecer no prédio logo no terceiro mês após a entrega das chaves

Além de ter que lidar e tentar acalmar os ânimos dos condôminos, o síndico afirma que foi um dos mais prejudicados com a deterioração precoce do prédio. “Precisei ficar uma semana em um hotel enquanto técnicos da MRV vieram fazer reparos onde moro. Já não dava para morar no meu apartamento”, explica.

De acordo com Deoclécio, além de ter de ficar longe de casa por mais de uma semana, com a esposa e a filha de 10 anos, ele precisou desembolsar R$ 1.300 porque a construtora não custeou três dias adicionais de hospedagem. “Eles [técnicos da MRV], disseram que vão reembolsar o dinheiro, mas o complicado é que eu não tinha, tive que pedir emprestado para pagar hotel”, conta.

Pelos corredores do condomínio é possível ver diversas rachaduras e até problemas nas fechaduras das portas que dão acesso aos apartamentos de cada bloco. Problemas estes, que transformaram em pesadelo o sonho da casa própria de muitos condôminos, como é o caso do motorista Patrick Lima, de 27 anos, e Jéssica Ribeiro, de 25 anos.

“Isso é frustrante. A gente prefere comprar um imóvel novo para não ter problemas, mas acaba tendo mais dor de cabeça do que se tivesse comprado algo antigo. É triste morar em um lugar todo quebrado”, diz Patrícia.

Ao entrar na apartamento do casal é possível marcas de infiltrações e pisos soltos. Além dos problemas que persistem e só se agravam, eles contam que na primeira solicitação de reparo, feita com três meses dentro do apartamento, a MRV colocou um piso diferente do que estava instalado no restante do local . “Demoraram um mês para vir e quando vieram trocar o piso que se soltou da cozinha, colocaram um diferente do que estava no resto da casa”, lembra Patrick.

Para a maioria dos moradores, a parcela do empreendimento, que gira em torno de R$ 1.000 reais se somada a parcela da entrada, não vale o produto entregue. Agora, eles afirmam que acionar a construtora MRV no Procon para tentar solucionar a questão.

Em resposta à denúncia feita, a MRV informou que “o produto entregue aos moradores do Residencial Parque Castello Di Napoli atende a todos os requisitos técnicos e que não hà vícios construtivos ou problemas generalizados”.

“Eventuais pedidos abertos para assistência técnica já foram solucionados ou estão em processo de atendimento”, disse a construtora em nota.

(Fonte: Campo Grande News)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *